Arquivo da categoria: NEDE

EvoKE 2017

Gostaria de integrar uma equipa interdisciplinar e internacional e promover projetos internacionais na área do ensino e comunicação da evolução?

Acredita que a comunicação entre docentes de ciências, cientistas e comunicadores de ciência pode contribuir para melhorar as práticas de comunicação e ensino de todos?

Então não deixe de participar no EvoKE2017!

O EvoKE 2017 reunirá biólogos evolutivos, comunicadores de ciência, professores, investigadores em didática das ciências e políticos, para planificar e discutir a implementação de projetos europeus que aumentem a literacia científica sobre evolução.

 

Taxa de inscrição: 65 Euros

Mais informação sobre este evento em:  https://evokeproject.org/

Inscrições em http://bit.ly/EvoKE2017_registration

Data limite para a inscrição: 7 de Novembro de 2016

Contacto: registration@evokeproject.org

Siga o EvoKE no facebook em https://www.facebook.com/evoke17

APOIO A EVENTOS DE DIVULGAÇÃO CIENTÍFICA

Caros sócios,
Informamos que a APBE dispõe de uma pequena verba (1500 euros
no total) que gostaria de distribuir no apoio a eventos de divulgação
científica na área da evolução.

Por favor enviem-nos as vossas propostas para geral@apbe.pt até 15 de
Setembro.

Propomos que usem o mesmo formato do que o
do Outreach Fund do ESEB (vejam ‘application
form’).

Podem enviar as vossas propostas em Português ou Inglês, e serão
analisadas por uma comissão que incluirá membros da direcção da APBE e do NEDE.

A decisão da comissão será comunicada até 30 de Setembro.
Os projectos podem começar a partir de 1 de Outubro de 2016.

Workshop Comunicação de Ciência

A ordem dos biólogos está a organizar o workshop  “Comunicação de Ciência – uma introdução prática”; ministrado pela comunicadora de ciência Catarina Amorim (Universidade de Oxford, Imperial College)

04-06-2016 | Mais informação aqui

 

A VIAGEM DE DARWIN E CICLO DE PALESTRAS – 10 DE ABRIL

Próximas palestras do ciclo de palestras sobre Evolução no Século XXI,  a decorrer no Templo da Poesia em Oeiras, no âmbito da exposição A Viagem de Darwin

10 de Abril: E se as rochas e os fósseis falassem?

15h30

CARLOS MARQUES DA SILVA: Geologia, uma paixão de Darwin.

cmsilva

Quando pensamos em Darwin vem-nos imediatamente à mente um biólogo trabalhando afincadamente nas Ilhas Galápagos para fundamentar a sua Teoria da Evolução. Contudo, Darwin, mais que um biólogo, era um naturalista e, sobretudo, um naturalista com uma enorme paixão pela Geologia. Na verdade, ele próprio considerava-se um geólogo. As suas primeiras obras publicadas após o regresso a Inglaterra – depois da viagem abordo do HMS Beagle – focavam temas geológicos e mesmo na sua obra biológica mais famosa, “A Origem das Espécies por Meio de Selecção Natural”, a Geologia desempenha um papel fundamental.

Carlos Marques da Silva (n. 1961), Paleontólogo, diplomado em Geologia com especialização em Paleontologia pela Universidade Estatal de Moscovo, M.V. Lomonosov (1986) e doutorado em Paleontologia pela Universidade de Lisboa (2001). É Professor Auxiliar do Departamento de Geologia da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, onde coordena a disciplina de Paleontologia, e Investigador do Instituto Dom Luiz de geociências da UL. A sua principal área de investigação é a Paleozoologia e a Paleobiogeografia dos Moluscos Gastrópodes Neogénicos da região Atlanto-Mediterrânica e das Caraíbas. É co-autor de centena e meia de novas espécies de moluscos Mio-Pliocénicos e actuais de Portugal, Espanha, França, Turquia, Venezuela, República Dominicana, Bahamas e Panamá. É autor e co-autor de mais de uma centena de artigos científicos publicados em revistas da especialidade nacionais e, sobretudo, internacionais.

 

16h00

RUI CASTANHINHA: Ossos duros de estudar: os embriões de dinossauros depois da evolução de Darwin

castanhinhaSabia que os embriões de dinossauros também fossilizam? e que em Portugal existem alguns dos embriões fósseis mais completos do mundo? Vamos fazer uma viagem até ao Jurássico e aprender como podemos usar os fósseis de animais mortos há 150 milhões de anos para sabermos mais sobre a Evolução da vida no nosso planeta e o que o futuro nos reserva.

Rui Castanhinha começou os seus estudos em Biologia na Universidade de Évora tendo concluido a sua tese final sobre Assimetria Bilateral em Dinossauros. O seu interesse em estudar a evolução das espécies tornou-o desde então um investigador do Museu da Lourinhã onde, depois de ter ganho uma bolsa da Jurassic Foundation, estuda vários dinossauros portugueses, em especial os ovos e embriões de dinossauros do Jurássico da Lourinhã. Ao longo dos últimos anos, tem desenvolvido diversas escavações paleontológicas em Portugal bem como em Espanha, Angola, Cabo Verde e Moçambique onde se destaca o Projecto PalNiassa. É doutorado em Biologia Evolutiva através do programa doutoral do Instituto Gulbenkian de Ciência e desde então faz investigação em evolução combinando dados experimentais em embriões de galinha com os fósseis de embriões de dinossauros portugueses do Jurássico Superior.

 

Aqui os cartazes destas e de todas as outras palestras!

A VIAGEM DE DARWIN E CICLO DE PALESTRAS – 13 de Março

Um pouco mais de informação sobre as próximas palestras do ciclo de palestras sobre Evolução no Século XXI,  a decorrer no Templo da Poesia em Oeiras, no âmbito da exposição A Viagem de Darwin

13 de Março: Evolução e desenvolvimento.

 15h30: Isabel Gordo: Evolução das bactérias no intestino.

IG

“Quando pensamos em bactérias temos tendência a pensar em doenças. As bactérias de que vou falar colonizam-nos quando nascemos e habitam os nossos intestinos enquanto vivemos. Ajudam a extrair energia dos alimentos que comemos, modelam a nossa fisiologia e protegem-nos. Constituem o nosso microbioma. Irei explicar como seguimos a evolução de umas das espécies do microbioma em tempo real e como podemos observar que a seleção natural descrita por Darwin pode acontecer dentro de nós todos os dias”.

Seguida de uma Licenciatura em Fisica, pelo Instituto Superior Técnico, Isabel Gordo doutorou-se em Genética Evolutiva, pela Universidade de Edimburgo em 2002. Hoje é Investigadora Principal no Instituto Gulbenkian de Ciência, onde se dedica a compreender a evolução das bactérias em diferentes ambientes e os processos evolutivos importantes na manutenção de resistência a antibióticos.

 

16h00: Henrique Silveira: Imunidade e doenças infeciosas, o papel da flora intestinal!

HS

“Os vetores de doenças, como os mosquitos que transmitem malária, dengue ou zica, não se limitam a transportar os organismos patogénicos de um ser humano ao seguinte. A interação destes com o vetor é complexa, envolvendo mecanismos de controlo da infeção pelo vetor.  Se conseguirmos manipular o mosquito de modo a que estes eliminem eficazmente os organismos patogénicos, impediremos a transmissão, e consequentemente a doença nos humanos.”

Henrique Silveira é doutorado em Parasitologia pela Imperial College, Londres, Reino Unido, é Professor de Parasitologia Médica no Instituto de Higiene e Medicina Tropical (IHMT), Universidade Nova de Lisboa (UNL), onde é Vice-diretor e Coordenador Científico do Centro de I&D: Saúde Global e Medicina Tropical (GHTM). É Pesquisador Visitante na Fundação de Medicina Tropical do Amazonas (FMT-HVD), Manaus, Brasil. O grupo de pesquisa que lidera está atualmente centrado na resposta do mosquito à infeção por Plasmodium e como esta pode ser modulada por fatores externos, com o objetivo de obter novas ferramentas para o bloqueio da transmissão da malária.

 

Apareçam!

[Todas as palestras aqui]

 

A VIAGEM DE DARWIN E CICLO DE PALESTRAS

A viagem de Darwin permanecerá agora em Oeiras até Junho de 2016  (!), acompanhada de um fantástico ciclo de palestras aos segundos Domingos de cada mês

Exposição-Viagem-de-Darwin

Comemorando os 207 anos do nascimento de Charles Darwin, o pai da Teoria da Evolução, e no âmbito da exposição A Viagem de Darwin, patente no Templo da Poesia em Oeiras, inaugura-se, a 14 de Fevereiro, um ciclo de palestras sobre Evolução no Século XXI, em Portugal.

Com o entusiasmo e criatividade dos cientistas portugueses, cobriremos temáticas tão diversificadas quanto o impacto da seleção natural nas nossas vidas, o desenvolvimento da imunidade e as doenças infeciosas, o sexo, a cooperação, os dinossauros, a perceção das emoções e a evolução humana!

As palestras decorrem nos segundos Domingos de cada mês, às 15h30.

14 de Fevereiro: O aniversário 207!

14h30: Visita pela exposição, guiada pelo próprio Darwin!

15h30: Teresa Avelar: A revolução de Darwin.

16h00: André Levy: O impacto da seleção natural nas nossas vidas.

(Mais informação aqui)

13 de Março: Evolução e desenvolvimento.

15h30: Isabel Gordo: A evolução da flora intestinal

16h00: Henrique Silveira: Imunidade e doenças infeciosas, o papel da flora intestinal!

10 de Abril: E se as rochas e os fosseis falassem?!

15h30: Carlos Silva: Geologia, uma paixão de Darwin.

16h00: Rui Castanhinha: Ossos duros de estudar: os embriões de dinossauros depois da evolução de Darwin.

15 de Maio: Haplodiplóides, um sexo muito diferente!

15h30: Sara Magalhães: Mais machos ou mais fêmeas? Eis a questão!

16h00: João Alpedrinha: O estranho mundo dos insetos sociais: cooperação ou conflito?

29 de Maio: A Origem do Homem  [NOVA DATA!!]

15h30: Bracinha Vieira: Darwin e a evolução humana.

16h00: Augusta Gaspar: A perceção das emoções no Homem e nos Animais.

Feliz Dia de Darwin !

 

Dia de Mandela 2015

No próximo dia 18 de Julho, a APBE volta a associar-se ao Dia de Mandela na celebração da diversidade humana.

Em conjunto com o Museu Nacional de Soares dos Reis, o CIDTFF, o CE3C, o Centro de Ciência Viva de Lagos e o Colégio Luso-Francês, a APBE está a organizar o workshop para professores “A cor da pele na sala de aula”. Este workshop terá lugar no Museu Nacional de Soares dos Reis, Porto.

No âmbito desta celebrações terão ainda lugar actividades para famílias que decorrerão no Museu.

Mais informações aqui: http://www.apbe.pt/…/…/dia-de-mandela/dia-de-mandela-2015-2/

Inscrições para o workshop aqui: https://goo.gl/fwYNEL

WORKSHOP “EVOLUÇÃO BIOLÓGICA NAS NOVAS METAS CURRICULARES DO 3º CICLO DO ENSINO BÁSICO” – 3ª Edição

O Núcleo de Educação e Divulgação de Evolução da Associação Portuguesa de Biologia Evolutiva (NEDE-APBE) organiza a terceira edição de um workshop destinado a professores de Biologia e Ciências da Natureza. Este workshop tem como ponto de partida as novas metas curriculares dos 8º e 9º anos, que abrem agora espaço para um enquadramento evolutivo de temas como a conservação da natureza ou a diversidade humana.

O workshop está organizado em dois módulos: de manhã a ênfase estará nos mecanismos evolutivos e na forma como estes podem ser trabalhados no 8º ano; de tarde explorar-se-á a cor da pele como característica importante para a promoção do conhecimento sobre as implicações da evolução na saúde humana, enquadrando-a nos temas abordados no 9º ano.

 

Módulo I: Mecanismos evolutivos

w1

Evolução é um conceito central da Biologia, sendo fundamental para compreender o meio que nos rodeia e as origens da espécie humana. Mas a teoria evolutiva tem aplicações muito mais vastas no nosso dia-a-dia e nosso bem-estar. Neste workshop serão apresentadas e discutidas algumas das aplicações e implicações da teoria evolutiva no nosso dia-a-dia. Tendo por base as novas metas para o oitavo ano, serão apresentadas ainda nesta formação actividades práticas que visam promover a aprendizagem activa sobre Biologia Evolutiva, explorando situações comuns do nosso quotidiano.

 

Módulo II: Evolução da cor da pele

w2

A cor de pele, por ser uma característica visível e com variação geográfica acentuada, tem sido associada a vários tipos de preconceitos e de discriminação ao longo da História e em diversas sociedades. Assim, este tema é em geral pouco abordado em sala de aula. No entanto, a cor da pele é uma característica que evoluiu sob a influência da selecção natural, tendo importantes implicações na saúde das pessoas que podem e devem ser exploradas em contexto de sala de aula. Durante este workshop será apresentada uma actividade que visa explorar a temática da cor da pele, a sua evolução, consequências para a saúde individual e suas implicações nos cuidados que cada pessoa deve ter no seu dia-a-dia, enquadrada nas novas metas do nono ano.

——————————-

PROGRAMA 

Módulo I

9h45-10h: Recepção dos participantes

10h-11h15: Mecanismos evolutivos: enquadramento nas novas metas curriculares e exemplos de aplicações práticas

11h15-11h45: Pausa para café

11h45-13h: Mecanismos evolutivos: actividades “mão-na-massa”

Módulo II

14h15-14h30: Recepção dos participantes

14h40-15h45: Cor da pele: diversidade, origem,  hereditariedade e evolução

15h45-16h15: Pausa para café

16h15-17h30: Cor da pele: actividades “mão-na-massa”

——————————-

Informações importantes

Local: Museu da Ciência da Universidade de Coimbra, Coimbra

Data: 16 de Maio de 2015

Horário: 10h – 13h (Módulo I) e 14h30 – 17h30 (Módulo II)

Preço: 7,5 euros cada módulo; 10 euros os dois módulos

Inclui: refeição ligeira a meio de cada módulo, certificado de participação e documentação

Data limite para a inscrição: 28 de Abril de 2015.

Cada módulo funcionará com um número mínimo de 15 participantes e máximo de 35.

INSCRIÇÕES: http://tinyurl.com/qdcv5tz

Organização e formação: Rita Ponce, CE3C – Centro de Ecologia, Evolução e Alterações Ambientais, Universidade de Lisboa, e Xana Sá Pinto e Rita Campos, CIBIO/InBIO – Centro de Investigação em Biodiversidade e Recursos Genéticos, Laboratório Associado

Esta formação faz parte do programa “Um dia sobre evolução”

wf1wf2